Junto às Forças Armadas, OAB e CNJ vão fiscalizar as Eleições de 2022

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) foram convidados pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para fiscalizar as Eleições de 2022. Também serão agentes fiscalizadores as Forças Armadas e o .

Conforme coluna do jornal O Globo, as duas entidades já confirmaram a participação na fiscalização das eleições. Inclusive já indicaram representantes para acompanhar todas as etapas do processo de votação — que acontece em 2 de outubro segundo o Calendário Eleitoral.

O gerente de tecnologia da informação, Rodrigo Lemgruber foi indicado pela OAB. Já o CNJ, indicou o  auxiliar João Moreira.

Assim, a fiscalização das eleições gerais não estará designada apenas aos militares, o Ministério da Justiça e o PL, partido do atual presidente Jair Bolsonaro.

Segundo a coluna, uma resolução de 2021 do TSE “prevê que a Polícia Federal, o STF, o Congresso, o CNJ, a Controladoria-Geral da União (CGU), empresas privadas brasileiras ‘com notória atuação em fiscalização e transparência da gestão pública’ e outras instituições podem inspecionar o processo eleitoral”.

Midiamax

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: