Junho termina com perspectiva de reação de preços do frango no Brasil

Portal do Agronegócio

Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, a perspectiva é de que as cotações sigam em alta no atacado e possam esboçar reação para o quilo vivo no curto prazo. “A demanda doméstica ainda é amplamente direcionada ao consumo de proteínas mais acessíveis, a exemplo do frango e do ovo propriamente dito”, sinaliza.

De acordo com levantamento de SAFRAS & Mercado, no atacado de São Paulo os preços dos cortes congelados de frango subiram ao longo de junho. O preço do quilo do peito passou de R$ 9,60 para R$ 10,15 e o quilo da coxa de R$ 7,50 para R$ 7,60. O quilo da asa seguiu em R$ 10,10. Na distribuição, o preço do quilo do peito avançou de R$ 9,80 para R$ 10,30 e o quilo da coxa de R$ 7,70 para R$ 7,80. O quilo da asa seguiu em R$ 10,30.

Nos cortes resfriados vendidos no atacado, o cenário no mês também foi de estabilidade. No atacado, o preço do quilo do peito subiu de R$ 9,70 para R$ 10,25 e o quilo da coxa de R$ 7,60 para R$ 7,70. O quilo da asa prosseguiu em R$ 10,20. Na distribuição, o preço do quilo do peito aumentou de R$ 9,90 para R$ 10,40 e o quilo da coxa de R$ 7,80 para R$ 7,90. O quilo da asa se manteve em R$ 10,40.

Iglesias ressalta que as exportações seguem com um ótimo desempenho no decorrer de 2022. “Em relação aos custos a entrada da safrinha brasileira tende a oferecer uma perspectiva mais positiva na composição das margens da avicultura e da suinocultura no segundo semestre”, afirma.

O levantamento semanal realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil apontou que, em Minas Gerais, o quilo vivo subiu de R$ 6,10 para R$ 6,30. Em São Paulo o quilo caiu de R$ 6,25 para R$ 6,00.

Na integração catarinense a cotação do frango prosseguiu em R$ 5,00. No oeste do Paraná o preço continuou em R$ 5,60. Na integração do Rio Grande do Sul o quilo vivo baixou de R$ 5,90 para R$ 5,80.

No Mato Grosso do Sul o preço do quilo vivo do frango subiu de R$ 6,05 para R$ 6,25. Em Goiás o quilo vivo avançou de R$ 6,10 para R$ 6,25. No Distrito Federal o quilo vivo mudou de R$ 6,10 para R$ 6,30.

Em Pernambuco, o quilo vivo continuou em R$ 6,50. No Ceará a cotação do quilo avançou de R$ 5,60 para R$ 6,00 e, no Pará, o quilo vivo seguiu em R$ 6,50.

Fonte: Agência SAFRAS

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: