Nova Ferroeste será corredor de escoamento de grãos de Mato Grosso do Sul

Com investimentos previstos de R$ 4,7 bilhões, a Nova Ferroeste, que ligará Maracaju ao Porto de Paranaguá (PR), teve o edital apresentado nesta terça-feira (21) em cerimônia em Curitiba (PR). O evento contou com a presença do governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, que apresentou detalhes do documento, que ficará disponível para consulta pública. Pelo Mato Grosso do Sul, esteve presente o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, representando o governador Reinaldo Azambuja.

O edital apresentado traz as regras do contrato que será levado à Bolsa de Valores (B3) no momento do leilão do projeto da ferrovia, previsto para o segundo semestre de 2022. O documento só será publicado oficialmente após a concessão do licenciamento ambiental, por parte do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis).

“Vamos colocar o edital para consulta pública do dia 27 de junho até o dia 15 de julho para que todos os interessados, especialmente os investidores, possam analisar e fazer as devidas contribuições. Posteriormente, ele vai à leilão na B3, em São Paulo”, detalhou o diretor-presidente da Nova Ferroeste, André Gonçalves.

Conforme o governador paranaense, o projeto da Nova Ferroeste é transformador. “Vai transformar Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Alias, é um projeto que ajuda o País. É considerado o maior projeto de técnica e qualidade do Brasil e o mais sustentável no mundo, pelos órgãos ambientais. Essa é a garantia de uma logística eficiente para toda nossa produção de grãos e proteína animal que vai alimentar o planeta todo”, pontuou Ratinho Junior.

Contratos que vão à leilão

De acordo com o secretário Jaime Verruck, o que será levado à leilão na Bolsa de Valores são os cinco contratos celebrados com o Ministério da Infraestrutura que permitem a ligação por trilhos do Porto de Paranaguá a Maracaju, em Mato Grosso do Sul, e a conexão de Cascavel (PR) com os ramais de Foz do Iguaçu (PR) e Chapecó, em Santa Catarina.

O contrato de concessão conecta Guarapuava (PR) a Dourados. Outros quatro contratos completam o projeto com as seguintes ligações: Dourados/Maracaju, Cascavel/Foz do Iguaçu, Cascavel/Chapecó e Guarapuava/Paranaguá.

Será feita a cessão onerosa desses contratos, ou seja, eles serão transferidos para a iniciativa privada. O valor do lance mínimo a ser dado na data do leilão é de R$ 110 milhões. O total obtido será revertido para a atual Ferroeste.

Quem arrematar a ferrovia será responsável pelo projeto completo, com 1.567 quilômetros de extensão. As obras terão início pela ligação entre Cascavel e Paranaguá.

Viabilidade da ferrovia em MS

A Nova Ferroeste será um investimento privado, com extensão total de 1.304 quilômetros, ligando a cidade paranaense de Cascavel a Maracaju. Os trilhos da nova malha ferroviária vão entrar em Mato Grosso do Sul pelo município de Mundo Novo e seguirão pelo Estado passando por Eldorado, Iguatemi, Amambai, Caarapó, Dourados e Itaporã, até chegarem a Maracaju.

Parada final da ligação ferroviária, o Porto de Paranaguá é hoje a principal rota de exportação de Mato Grosso do Sul, informou o secretário Jaime Verruck. “Quarenta por cento do total da produção do Estado já vai para Paranaguá por meio do sistema rodoviário”, destacou. Para ele, essa condição viabiliza o trecho sul-mato-grossense de 333 quilômetros no projeto da ferrovia. “Toda essa carga está pronta para entrar em trem, que é mais barato, mais competitivo e dá melhor remuneração ao produtor sul-mato-grossense”, completou ele.

Além desse cenário, o fato de Mato Grosso do Sul possuir quatro milhões de hectares de soja e milho e com previsão de ocupação de novas áreas até chegar a cinco milhões de hectares nos próximos três anos é outro diferencial que torna o projeto atrativo para investidores.

Consulta

Desde o dia 14 de junho o edital está disponível no site da Nova Ferroeste para consulta pública. Entre 27 de junho e 15 de julho será possível registrar as contribuições num e-mail destacado no site oficial: www.novaferroeste.pr.gov.br.

A partir de 4 de julho terá início a segunda sondagem de mercado, com a apresentação do projeto e do edital para empresas privadas e estatais nacionais e estrangeiras que também farão considerações sobre o edital proposto.

Rosana Siqueira e Bruno Chaves, Subcom
Fotos: Kelly Ventorim

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: