Fundo agrícola destina R$ 4,2 milhões para pesquisa de milho e soja em MS

A pesquisa agrícola em busca de novas variedades e a inovação em tecnologia foram contempladas nesta quinta-feira (24) por meio da assinatura de convênios de mais de R$ 4,2 milhões para a Fundação MS e a Fundação Chapadão. Os recursos são oriundos do Fundems (Fundo para Desenvolvimento das Culturas para o Milho e para a Soja), administrado pela Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) e repassados por meio da Fundect (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul.

Nos convênios, foram destinados R$ 3 milhões para a Fundação MS realizar pesquisas nas áreas de desenvolvimento de novas variedades de soja e milho, e R$ 1,2 milhão para a Fundação Chapadão conduzir os experimentos nos municípios de Cassilândia e Paranaíba também de grãos.

O secretário Jaime Verruck, da Semagro, enfatizou que a política do Governo do Estado é de utilizar os recursos do Fundems para o desenvolvimento tecnológico das culturas de soja e milho, por meio das fundações de pesquisa. “As pesquisas refletem em aumento de produtividade e o desenvolvimento de variedades adaptadas às novas áreas. Graças ao trabalho da pesquisa somente no último ano foram cultivados 1,5 milhão de hectares a mais de área agrícola no Estado”, afirmou.

Ele acrescenta que as duas fundações fazem a diferença na produtividade da agricultura, com base no avanço das pesquisas conduzidas em inúmeros campos do Estado. “Sem este processo não temos condições de ter produtividades e as expansões rápidas de rendimento que temos”, frisou.

Verruck reiterou que a meta do Governo é que os recursos que são pagos pelos produtores rurais sejam revertidos em benefícios para o setor. “A ideia é sempre investir em ciência e tecnologia com recursos do Fundems para aumentar a produção estadual de grãos”, afirmou.

O evento contou com a presença do secretário Jaime Verruck, do presidente da Fundect, Marcio Pereira; do secretário adjunto da Semagro e presidente do Conselho da Fundect, Ricardo Senna; do presidente da Fundação Chapadão, Ilton Henrichsen; o diretor-executivo da Fundação MS Alex Merlotto, além de pesquisadores.

Incentivo a difusão de tecnologias

De acordo com o diretor-executivo da Fundação MS, Alex Merlotto, o investimento do Governo será usado na implantação de 14 unidades de pesquisa em diferentes regiões do Estado, no raio que compreende o norte de São Gabriel do Oeste e ao sul da região de Naviraí. “Com estes recursos serão feitas a implantação, manejo, colheita e difusão das informações. Então estes valores serão empregados na safra 2022/2023 que nós começamos a comprar os insumos agora e a gente estima que com eles nós iremos implantar até 25 mil parcelas de pesquisa”, destacou.

Para o presidente da Fundação Chapadão, Ilton Henrichsen, os recursos de R$ 1,2 milhões servirão para a execução de pesquisas em todo setor produtivo na região norte. “Trabalhamos em pesquisas com soja, milho, algodão, cana e mais recentemente amendoim que é uma cultura nova. A Fundação atua desde a fertilidade do solo até manejo de fungos e pragas”, explicou.

Henrichsen enalteceu o trabalho da Fundect e da Semagro em destinar os recursos da Fundems. “A pesquisa reverte em resultados e aumento de produtividade e adaptação de variedades adequadas nos municípios. Esse retorno de produtividade significa mais rentabilidade para o município para as prefeituras e para o Estado. Além de reverter em emprego e renda para a população”, concluiu.

*Com assessoria Semagro

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: