Prefeitura de Maracaju adere a Campanha “Dezembro Vermelho” e alerta sobre cuidados de prevenção ao vírus HIV/AIDS e outras doenças Sexualmente Transmissíveis

A Prefeitura de Maracaju através da Secretaria Municipal de Saúde aderiu a Campanha “Dezembro Vermelho” que marca uma grande mobilização em todo o país na luta contra os vírus HIV, AIDS e ainda outras Infecções Sexualmente Transmissíveis.

A campanha ainda chama a atenção para a importância da prevenção, assistência, respeito e proteção dos direitos das pessoas infectadas com o HIV.

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde Thiago Olegário Caminha a campanha em Maracaju trabalha em duas vertentes, visando reforçar a importância da prevenção do vírus HIV/AIDS e também das demais infecções sexualmente transmissíveis, bem como reforçar que o município e a Rede Municipal de Saúde contam com medicamentos e tratamentos gratuitos.

Maracaju conta com uma estrutura adequada para atender nossos pacientes com medicamentos e todo o suporte médico caso haver necessidade, acima de tudo, também trabalhamos na importância da prevenção e dentro deste Dezembro Vermelho estamos fazendo palestras, visitas e todo um cronograma de divulgação da prevenção e tratamento ao vírus HIV e também de todas as doenças sexualmente transmissíveis.” Destacou Thiago Caminha.

Com o lema “Proteção é a Melhor Prevenção” a campanha já se iniciou no dia 01 de Dezembro, Dia Mundial de Combate a AIDS, através de entrevistas as emissoras de rádio locais, visando alcançar além do perímetro urbano a zona rural, como fazendas, aldeias e assentamentos.

De acordo com a Médica Dra. Amanda Almirão Alves, trata-se de uma doença que ainda enfrenta muitos “tabus”, justamente por ser uma doença crônica, assim como a “pressão alta”, também tem tratamento eficaz para os pacientes de HIV/AIDS.

Assim como alguém que toma o remédio para controle de pressão arterial que é uma doença crônica, aquela pessoa com HIV também toma um remédio diário, por isso, abordamos sobre esse tema, justamente para destacar que há tratamento e controle para essa doença, claro que sempre, continuaremos abordando que a melhor proteção é a prevenção, através do sexo seguro com o uso de preservativos. Antigamente havia dificuldades para o tratamento, eram muitos comprimidos diários, atualmente é apenas um comprimido, pouquíssimos efeitos colaterais e possibilita ao paciente uma vida muito mais tranquila.” Explicou a Médica.

Além da transmissão ocorrer pelo sexo sem proteção, independentemente do tipo do ato sexual (oral, vaginal e anal), podem ocorrer também através do compartilhamento sem a devida higienização de itens como alicate de unha e de outros itens de corte, através do contato com o sangue, bem como de maneira ainda mais difícil, devido a existência de medicamento na atualidade para isso, através da mãe e filha durante o parto.

Há realização de testes em todas as Unidades de Saúde do município, durante todo o ano, bem como o tratamento é disponibilizado pelo S.U.S. totalmente gratuito, bem como ocorre a distribuição gratuita de preservativos em todas os postos de saúde da cidade.

Sobre o Dezembro Vermelho

O Dezembro Vermelho, campanha instituída pela Lei nº 13.504/2017, marca uma grande mobilização nacional na luta contra o vírus HIV, a Aids e outras IST (infecções sexualmente transmissíveis), chamando a atenção para a prevenção, a assistência e a proteção dos direitos das pessoas infectadas com o HIV.

A campanha é constituída por um conjunto de atividades e mobilizações relacionadas ao enfrentamento ao HIV/Aids e às demais IST, em consonância com os princípios do Sistema Único de Saúde, de modo integrado em toda a administração pública, com entidades da sociedade civil organizada e organismos internacionais. A campanha deve promover:

– Iluminação de prédios públicos com luzes de cor vermelha;
– Promoção de palestras e atividades educativas;
– Veiculação de campanhas de mídia;
– Realização de eventos.

Aids:

Aids é a doença causada pela infecção do Vírus da Imunodeficiência Humana (da sigla em inglês HIV). Esse vírus, do tipo retrovírus, ataca o sistema imunológico, que é o responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. O vírus é capaz de alterar o DNA dessa célula e fazer cópias de si mesmo. Depois de se multiplicar, rompe os linfócitos em busca de outros para continuar a infecção.

Transmissão:

Os pacientes soropositivos, que têm ou não Aids, podem transmitir o vírus a outras pessoas pelas relações sexuais desprotegidas, pelo compartilhamento de seringas contaminadas ou de mãe para filho durante a gravidez e a amamentação, quando não tomam as devidas medidas de prevenção. Por isso, é sempre importante fazer o teste e se proteger em todas as situações.

Tratamento:

Todas as pessoas diagnosticadas com HIV têm direito a iniciar o tratamento com os medicamentos antirretrovirais, imediatamente, e, assim, poupar o seu sistema imunológico. Esses medicamentos (coquetel) impedem que o vírus se replique dentro das células T CD4+ e evitam, assim, que a imunidade caia e que a Aids apareça.

Infecções Sexualmente Transmissíveis:

As Infecções Sexualmente Transmissíveis são causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal, anal) sem o uso de preservativo masculino ou feminino, com uma pessoa que esteja infectada.

De maneira menos comum, as IST também podem ser transmitidas por meio não sexual, pelo contato de mucosas ou pele não íntegra com secreções corporais contaminadas.

A transmissão de uma IST pode acontecer, ainda, da mãe para a criança durante a gestação, o parto ou a amamentação. O tratamento das pessoas com IST melhora a qualidade de vida e interrompe a cadeia de transmissão dessas infecções. O atendimento e o tratamento das IST e do HIV/Aids são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.

O termo Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) passou a ser adotado em substituição à expressão Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), porque destaca a possibilidade de uma pessoa ter e transmitir uma infecção, mesmo sem sinais e sintomas.

Principais IST:

  • Herpes genital;
  • Concro mole (cancroide)
  • HPV
  • Doença Inflamatória Pélvica (DIP)
  • Donovanose
  • Gonorréia
  • Linfogranuloma venéreo (LGV)
  • Sífilis
  • Infecção pelo HTLV
  • Tricomoníase

Prevenção da Aids/HIV e das IST:

O uso do preservativo (masculino ou feminino) em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais) é o método mais eficaz para evitar a transmissão das IST, do HIV/Aids e das hepatites virais B e C.

A prevenção combinada abrange o uso do preservativo masculino ou feminino, ações de prevenção, diagnóstico e tratamento das IST, testagem para HIV, sífilis e hepatites virais B e C, profilaxia pós-exposição ao HIV, imunização para HPV e hepatite B, prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatite B, tratamento antirretroviral para todas as pessoas vivendo com HIV, redução de danos, entre outros.

Com informações do Ministério da Saúde

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: