O secretário executivo do Consorcio Brasil Central, vice-governador do Distrito Federal, Paco Britto, informou que o grupo a qual Mato Grosso do Sul faz parte, irá se pronunciar a respeito da negociação em andamento com o Fundo Soberano Russo para aquisição da vacina Sputnik V, após análise criteriosa da decisão da Anvisa.

Ontem (4/6), a Agência autorizou a importação do imunizante em caráter excepcional para o Brasil, em quantidades específicas, para fins de distribuição e uso em condições controladas determinadas pela própria Anvisa.

Para a autorização, foi considerado tanto o cenário da pandemia no Brasil, como as lacunas de informação ainda existentes na análise dos dados da Sputnik, além dos novos documentos apresentados pelos requerentes.

Os importadores apresentaram o relatório técnico de avaliação emitido pelo Ministério da Saúde da Rússia e exigido com base no §3º do art. 16 da Lei 14.124/21.

Na prática, uma parte do quantitativo de doses da vacina poderá ser importada no primeiro momento para ser utilizada dentro de um estudo de efetividade a ser seguido pelos estados requerentes.

Entre as principais condições para o uso da Sputnik preveem pontos como importação somente de vacinas das fábricas inspecionadas pela Anvisa na Rússia (Generium e Pharmstandard UfaVita), obrigação de análise lote a lote que comprove ausência de vírus replicantes e outras características de qualidade e notificação de eventos adversos graves em até 24 horas.

Douraados News

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: