Carreta da “patroa do tráfico” usada no envio de drogas é interceptada na BR-163

Uma carreta avaliada em R$ 250 mil que pertencia a organização chefiada pela paraguaia Camila Zeballos Villa Alta, de 28 anos, a “patroa do tráfico” foi apreendida em operação conjunta da Polícia Civil nesta terça-feira (13) na BR-163, em Rio Brilhante, cidade a 163 quilômetros de Campo Grande. Conforme as autoridades de segurança o veículo  era utilizado no envio de drogas para vários Estados do país.

A carreta estava carregada com materiais recicláveis e era conduzida por um motorista de São Paulo, que possuía condenação por ter sido flagrado transportando 04 toneladas de maconha. Em depoimento ele alegou que havia sido contratado para buscar a carga em Campo Grande e que teria como destino a cidade de São Paulo.

No entanto, conforme apurado pela polícia, a carreta também era utilizada para transporte de grande quantidades de drogas de Ponta Porã para vários Estados, mas principalmente para a  Bahia, Minas Gerais e São Paulo. Após a prisão dos líderes da organização criminosa, em março, foi identificado que a carreta havia sido transferida para o nome de um laranja, de apenas 25 anos, que mora na Bahia, mas esteve em Ponta Porã neste ano.

Contudo, a carreta foi apreendida e um inquérito foi instaurado pela Defron (Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira), que apura a prática de lavagem de dinheiro, crime praticado pelos integrantes da organização criminosa. Além da delegacia de fronteira a operação desta terça-feira (13) também contou com a ação conjunta do Garras ( Delegacia Especializada de Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros), SIG (Setor de Investigações Gerais) da 1ª DP (Delegacia de Polícia) de Ponta Porã, e com o apoio da Delegacia de Polícia Civil em Rio Brilhante,

“Patroa” – Camila comandava a rota de maconha e pasta-base de cocaína de Ponta Porã para os outros Estados junto com o marido, Mauricio Alberto Pallos de Souza, 30, o “Mau-Mau”, integrante da facção “Bonde do Maluco” e que está preso na Bahia. No dia 8 de março, equipes da Defron chegaram ao depósito mantido pela quadrilha em Ponta Porã. Além da maconha, os policiais apreenderam no local o caminhão que estava sendo carregado com a droga e o carro de Camila, um SUV Hyundai IX35.

Para tentar escapar do flagrante, ela foi para Dourados e comprou passagens para seguir de avião com as filhas para a capital baiana, mas foi presa minutos antes do embarque. Camila Zeballos Villa Alta também é investigada como suspeita de ter ordenado as execuções de dois homens e uma mulher ocorridas no início de março em Ponta Porã. A própria Camila teria degolado Wathylla Pereira Soares, 26.

Campo Grande News

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: