Polícia prende, algema e põe no camburão “sorveteiro” que “ousou” trabalhar durante o lockdown (veja o vídeo)

A deputada federal e procuradora aposentada do Distrito Federal, Bia Kicis (PSL), usou as redes sociais, nesta terça-feira (2), para denunciar que o lockdown rigoroso imposto pelo governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), fez mais uma “vítima”.

Desta vez, quem sofreu as consequências por necessitar trabalhar na economia autônoma foi Leonardo Sechaus, pequeno proprietário de uma sorveteria, em São Lourenço do Sul, interior do estado.

O rapaz abriu o estabelecimento, nesta segunda-feira (1), quando uma equipe de policiais foi enviada para o local. Ele foi agredido, jogado no chão, algemado, enfiado num camburão e conduzido à força para a prisão.

Truculência desmedida, diante dos funcionários da sorveteria e de outros presentes. Um policial tenta amordaçar o empresário com as próprias mãos.

Sobre o caso, Kicis declarou:

“Mais uma da série “pra quem procura ditadura imaginária no Presidente, mas não a enxerga bem diante dos seus olhos!”

No Facebook, Sechaus escreveu um testemunho, emocionado, sobre o caso:

“Fui PRESO, HOJE, 28/02, por cometer o “crime” de estar TRABALHANDO. Me jogaram no CHÃO. Coloraram ALGEMAS. Taparam minha BOCA. Eu estava GRITANDO o motivo. Me colocaram num camburão da Polícia Militar como se eu fosse um BANDIDO. O Policial Civil que me jogou no chão sem eu oferecer qualquer resistência, só estava gritando por socorro para as pessoas que passavam no local perplexas, alegou simploriamente que eu tinha “mordido o colega”. MENTIRA DESCARADA. Fui tratado como um marginal pelos envolvidos. Sou um EMPRESÁRIO Lorenciano e gero empregos para o Município. Pago meus impostos em dia, nunca tive problemas com Polícia, sempre fui um homem honrado. Quem me conhece sabe…”

E completou:

“Amanhã, tenho cinco boletos para pagar (fornecedores), num total de R$ 8.944, 75. Gostaria de saber se o Governo Estadual vai pagá-los para mim, assim como todas as outras despesas da loja, que somam cerca de R$ 15.000,00 mensal”, desabafou, indignado.

Esta é a primeira semana que o estado do Rio Grande do Sul entra em lockdown crítico. As medidas duram até o domingo (7), mas podem ser prorrogadas.

Confira o vídeo:

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: