Com quase 30 mil pessoas, MS tem a 2ª maior fila do INSS no País

Pouco mais de 28,1 mil sul-mato-grossenses esperam na “fila” do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para ter direito a aposentadoria. Comparado ao total de habitantes, isso faz com que Mato Grosso do Sul seja o segundo estado brasileiro que mais tem pessoas nessa situação, atrás apenas do Piauí.

Esse levantamento inclui todo tipo de solicitação para se aposentar, mas há 5,8 mil registros especificamente sobre “incapacidade”.

No Brasil, a fila de pedidos tem reduzido. Foram 2,3 milhões em novembro de 2019, e em janeiro são 1,76 milhão, conforme dados do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário).

Essa redução se acentuou a partir do final de 2020, quando o volume de solicitações em espera ainda era de 1,92 milhão. Ou seja, em dois meses, houve uma queda significativa de 160 mil requerimentos a menos na fila em todo o País.

Demora no atendimento – O INSS alega que no País não há 1,76 milhão de requerimentos, mas sim 1,2 milhão, já que quase 500 mil estão em “exigência e dependem de documentação complementar do segurado” para completar a análise. Segundo o órgão, são 835 mil benefícios analisados mensalmente.

Ou seja, isso faria com que houvesse uma tendência de que o número de requerimentos em Mato Grosso do Sul fosse menor do que o apresentado pelo IBDP.

O Campo Grande News questionou o INSS sobre a demora no atendimento apenas em Mato Grosso do Sul, mas não foi respondida pelo órgão regional. Mesmo assim, o federal informou algumas das medidas que têm sido realizadas para reduzir tempo de espera e fila de futuros assegurados.

Devido a contratação de aposentados e militares inativos, por exemplo, o INSS diz ter ampliado o número de servidores na análise de requerimentos de 30% para 40% do total de servidores, transferindo-os de área. “[Servidores] estão sendo substituídos pelos aposentados temporários nas suas atuais funções. Isso diminuirá sensivelmente o tempo de concessão”.

Dados – A reportagem calculou a quantidade de pedidos na fila em comparação ao total de habitantes, para se ter uma noção mais prática desse “estoque” de requerimentos, cruzando dados do IBDP com os do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Abaixo, há a quantidade de benefícios na fila em cada unidade da federação, ordenados nesse levantamento supracitado.
Campo Grande News

Siga nossa página no Instagram: instagram.com/plantaoregional

Siga nossa página no Facebook: fb.com/plantaoregionalms

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.

%d blogueiros gostam disto: